Caio Carrara Trabalhando principalmente com Python, Java, HTML, CSS e Javascript. Hora ou outra me arrisco no empreendedorismo. Quando não estou programando ou estudando estou treinando, andando de bicicleta, jogando meu 3DS ou assistindo um filme.
Published

Sun 24 November 2013

←Home

Virtualenv: Instalação e utilização

O que é virtualenv:

De acordo com o próprio site do virtualenv, trata-se de uma ferramenta para a criação de ambientes Python isolados (ambientes virtuais, virtual environments, virtualenv). Essa própria descrição é bastante elucidativa, o que ainda pode estar em dúvida é a necessidade de se utilizar o virtualenv, ou de se ter ambientes isolados.

Por que eu deveria utilizar o virtualenv?

Limitando-se às necessidades de um desenvolvedor, ambientes Python isolados são necessários pois possibilitam o desenvolvimento de soluções em diferentes vesões do Python e de seus módulos sem haver interferência entre os ambientes.

Um exemplo bastante prático que me fez utilizar o virtualenv pela primeira vez foi a necessidade de manutenção de um sistema desenvolvido em Django em uma versão mais antiga. Atualmente eu tenho o Django mais recente (1.5.1) instalado no meu ambiente real. Entretanto apareceu um freelancer para eu fazer a manutenção em um sistema que foi desenvolvido no Django 1.3.0. Logo, na preparação do ambiente para subir esse sistema na minha máquina eu pensei: e agora? Não estava nem um pouco disposto a reinstalar uma versão do Django.

Eu já tinha ouvido falar muito do virtualenv, mas não tinha realmente precisado utilizar, então sempre posterguei sua utilização, mas chegou a hora. Como fazer?

Instalando o virtualenv:

A instalação do virtualenv é rápida, fácil e indolor. Vou mostrar como fiz no Fedora 18.

Primeiro você deverá ter instalado o setuptools, caso não tenha siga as instruções da versão desejada em: https://pypi.python.org/pypi/setuptools. O setuptools é um ferramenta para a instalação, build, atualização e demais tarefas relativas à pacotes Python. A sua forma de utilização é bastante simples:

# easy_install <Pacote_a_ser_instalado>

Assim sendo, para instalarmos o virtualenv basta utilizar:

$ easy_install virtualenv

Utilizando o virtualenv:

Tendo o virtualenv instalado, é hora de colocarmos a mão na massa. Inicialmente escolha um diretório qualquer onde ficará o seu ambiente virtual. Caso esteja fazendo um ambiente dedicado à um projeto (que é meu caso), pode nomear o diretório com o nome do projeto. Você pode criar o diretório manualmente, caso o virtualenv seja utilizado com um diretório que não existe ele se encarrega de criá-lo, sendo assim vamos criar nosso ambiente:

$ virtualenv ~/meu_ambiente

Esse comando criará o novo ambiente no diretório especificado. Dentro do diretório pode perceber que foram criados os subdiretórios:

  • bin: alguns executáveis que atuarão exclusivamente no ambiente
  • lib: módulos e bibliotecas python exclusivas para o ambiente
  • include: headers exclusivos para o ambiente

Pronto! O ambiente isolado já está criado. Estando no diretório do ambiente, para ativar o mesmo e não utilizar o ambiente Python do sistema basta o comando:

[~/meu_ambiente]$ source bin/activate

Você perceberá que o ambiente está ativado pelo próprio console, que agora está assim:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$

Para desativar o ambiente Python exclusivo basta o comando:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ deactivate

Instalando pacote Python:

Caso nesse momento você ainda não tenha o pip instalado, instale assim:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ easy_install pip

A instalação de pacotes e módulos no ambiente virtual do virtualenv é bem simples, como acabamos de ver caso tenha sido necessário instalar o pip. Estando com o ambiente ativado, vamos instalar o yolk (usado para listar os pacotes Python instalados):

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ pip install yolk

Para usar o yolk e listar o que tem instalado no seu ambiente:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ yolk -l

Instalando Django no ambiente virtual:

Como dito no início do post, a minha necessidade em utilizar o virtualenv foi para usar uma versão do Django específica para desenvolvimento. Assim sendo, caso deseje instalar uma versão determinada do framework, basta usar o pip para isso:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ pip install Django==1.3.0

O comando acima irá instalar a versão 1.3.0 do framework. Após o término da instalação pode-se verificar através do yolk mais uma vez:

(meu_ambiente)[~/meu_ambiente]$ yolk -l

É isso ai! Já existe bastante material sobre a utilização do virtualenv pela internet, mas em português há poucos que sejam direto ao ponto, então resolvi escrever. Esse meu post baseou-se nas fontes abaixo que sugiro enormente a visita:

Até a próxima!

Go Top
comments powered by Disqus